• Felipe S Cohen

A quem agradecer

Ele começa pedindo desculpas por não poder gravar um depoimento vestido com a roupa cirúrgica – afinal, não poderia sequer encostar em seu smartphone, e teria que contar com a ajuda de algum colega que topasse gentilmente desempenhar a função de “segurador” de celular.


Isso, em meio ao caos. Como vocês (nem) podem imaginar.


Mesmo assim, num ato de extrema boa vontade, o residente de Neurocirurgia Raphael Bertani arrumou um tempo em meio à correria para nos mandar o áudio a seguir, diretamente do Hospital Municipal Miguel Couto, na Zona Sul do Rio de Janeiro:


“Obrigado, muito obrigado pela doação dos faceshields. Realmente a gente está com uma escassez de materiais. Ainda tem, mas está no limite, não sobra. Então a gente usa tudo o que tem. Eu não dispunha de nenhum faceshield, vocês me deram o único que eu tenho. Ele é excelente para usar junto com a máscara. Primeiro, porque protege a gente, protege a máscara. O correto seria ter óculos de proteção e uma touca que conseguisse cobrir também a orelha, né? Além, é claro, de uma roupa que cobrisse mais partes do rosto. Mas, dentro das possibilidades que a gente tem, acho que o faceshield foi realmente muito útil. Eu atendi pacientes com ele, fiz uma entubação com ele... E ele protegeu muito bem meu rosto e minha máscara. A gente tem que se acostumar a ele, é uma coisa um pouco nova. Então tem que aprender a se posicionar, até para não esbarrar nas coisas. Mas ele oferece uma proteção muito boa para o rosto inteiro e acaba protegendo inclusive a máscara que (como a gente tem poucas né?) acaba sendo algo que a gente tem que proteger também. A visibilidade é excelente. Eu até esquecia que estava com ele em vários momentos. Praticamente não embaça, se você o vestir corretamente. Ele te protege de respingos, de aerossol... realmente é muito bom, ajudou muito! Claro que nosso equipamento não está totalmente perfeito, mas a gente tem uma camada a mais de segurança e de proteção com o faceshield. Muito obrigado, pessoal.”


Apenas lembrando: isso foi uma mensagem de áudio, que transcrevemos aqui da forma mais precisa possível. Mas quem pudesse realmente escutá-la, ouviria na voz de um jovem médico toda a serenidade e resiliência que a profissão exige – mesmo atuando em meio a um cenário de guerra. Exatamente por isso, são estes os profissionais cujo trabalho, neste momento, o país acompanha com orgulho, admiração e profunda gratidão.


Obrigado Raphael!

Equipe SOS 3D COVID 19




23 visualizações